BUSCA

Quem sou eu

Minha foto
Sou doutora em Literatura. Escrevo há mais de 15 anos, mas sem disciplina. Sou aquela escritora que se guarda para o futuro, à espera de um grande acontecimento. Sinto que chegou a hora. É com retalhos e epopeias que me inventarei - com pequenos e grandes eventos - com fragmentos e grandes feitos - serei a tecelã de uma história e a sua heroína. Serei Penélope e Odisseu. Me acompanhe nesta viagem! Colunista da seção de Escrita Criativa na comunidade literária Benfazeja. Livros publicados: FLAUIS (2010) e RETALHOS E EPOPEIAS (Editora Patuá, 2012). Mais sobre mim em meu site oficial

Me encontre

MENU

Divulgue o blog!


Banner 120 x 60


Banner 150 x 90


Arquivo do blog

LEITORES

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Todos os textos são de autoria de Carolina Bernardes. A cópia não é autorizada e configura plágio. Tecnologia do Blogger.

06 abril, 2011

Tirando o cheiro de mofo do armário




Ontem esfriou. Abri meu armário de roupas de inverno e tentei me agasalhar.Peguei uma vermelha - o cheiro era insuportável. A preta. A cinza. A lilás. Impossível sair de casa com tamanho fedor. Nem que fosse para comer cachorro-quente sentada na calçada...


Amanheceu - neblina e sol. Vimos um carro atropelando um motoqueiro. O homem estatelado no chão e a moto destruída. Meus olhos se encheram de lágrimas. Manhã estranha de neblina.


Pendurei minhas roupas de inverno preferidas no varal - para tomar sol. Lindo sol de outono, sem inferno astral. Todo o cheiro foi embora. Não dá para estender o armário no varal.


Cortando batatas para fazer tortilha, senti a aproximação. Veio de perto, conhecida, antiga. A montanha, a faculdade, os amores, as esperanças, o centauro, a iluminação - tudo misturado, amalgamado em única sensação. Voltou do estrangeiro, das zonas escuras, da imensidão invisível. "Eu sou a noite a quem a luz devora" (Kazantzakis)


No telefone, uma história trágica. Mãe e dois filhos no carro. Estrada. Desviar de um cão atravessando. Carro capota. Crianças são arremessadas. Mãe sai ilesa.


                             Para tirar o cheiro de mofo do armário, compre essência de alfazema (encontrada em lojas de perfumaria). Misture um vidrinho de essência (8 ml) em 2 copos de água e coloque em um borrifador. Semanalmente, passe em seu guarda-roupas, deixando as portas abertas por um tempo. Não há problema que a solução entre em contato com as roupas.


ALGUÉM TEM AÍ UM VIDRINHO DE ALFAZEMA PARA ME ARRUMAR?



2 Comentaram. Deixe seu comentário também!:

GIL ROSZA disse...

Me lembrou uma passagem que gosto numa música antiga: “Walking proudly in our winter coats
wearing smells from laboratories”.

CAROLINA BERNARDES disse...

Gil, esta você tirou do armário mofado, não?
"Let the sunshine in
The sunshine in
Let the sunshine
Let the sunshine in
The sunshine in
Let the sunshine."

Postar um comentário

Olá, obrigada por visitar meu blog. Sua contribuição é muito importante para mim!

LIVROS ESSENCIAIS

  • A Demanda do Santo Graal. (Anônimo)
  • A vida e as opiniões do cavalheiro Tristam Shandy. (Laurence Sterne)
  • Ascese. (Nikos Kazantzakis)
  • Cem anos de Solidão. (Gabriel Garcia Marquez)
  • Crime e Castigo. (Dostoiévski)
  • Folhas de Relva. (Walt Whitman)
  • Húmus. (Raul Brandão)
  • Judas, o Obscuro. (Thomas Hardy)
  • Mahabharata (Anônimo)
  • Memórias Póstumas de Brás Cubas (Machado de Assis)
  • Narciso e Goldmund. (Hermann Hesse)
  • O casamento do Céu e do Inferno. (William Blake)
  • O homem que comprou a rua. (Tarcísio Pereira)
  • O Perfume. (Patrick Süskind)
  • Odisseia (Kazantzakis)
  • Odisseia. (Homero)
  • Os Cadernos de Malte Laurids Brigge. (Rainer Maria Rilke)
  • Peter Pan. (J. M. Barrie)
  • Poemas (Seferis)
  • Poemas Completos de Alberto Caeiro (Fernando Pessoa)
  • Zorba, o grego. (Nikos Kazantzakis)

Banner 250 x 40


meu bichinho virtual

De onde vêm meus visitantes?

 
2009 Template Bucólico|Templates e Acessórios